9 de fevereiro de 2017

Resenha - Como Tatuagem de Walter Tierno.

Autor: Walter Tierno
Título: Como Tatuagem
Ano: 2016
Páginas: 308
Editora: Verus Editora

Artur é um cara rico, superficial e egoísta. Bonito e popular entre as mulheres, não tem o menor respeito por elas — sua vida amorosa se resume a colecionar parceiras na cama. Essa rotina de prazeres e privilégios é interrompida quando ele sofre um grave acidente de carro. Para ajudá-lo a se recuperar, sua mãe contrata a fisioterapeuta Lúcia.
Desde criança, Lúcia sofre o preconceito que persegue os portadores de vitiligo. Sua mãe sempre esteve presente para apoiá-la e fazê-la enfrentar os obstáculos que a vida lhe impõe. De temperamento doce, porém decidido, Lúcia tem uma consciência peculiar e aguda sobre o mundo. Mas, quando se vê sem o amparo materno, suas certezas desabam.
O encontro de duas pessoas tão diferentes vai gerar muito atrito, mas com o tempo Lúcia e Artur vão descobrir algumas das infinitas facetas do amor e, entre conquistas, medos, perdas e paixões, verão suas vidas transformadas para sempre.

Como Tatuagem tem um enredo simples e de fácil compreensão. A história se passa em São Paulo e percebemos muitos pontos familiares, mas antes de tudo o livro passa uma lição de vida.

Lúcia é fisioterapeuta é portadora de vitiligo, sofre preconceito diariamente pela ignorância das pessoas. Trava diariamente uma batalha tanto pessoal quanto profissional. As pessoas não entendem que vitiligo não é contagioso e por essa ignorância Lúcia perde seu emprego. Mesmo sendo incentivada por Mamuska, assim ela se referia a sua mãe, a sair para o mundo e voar, Lúcia sentia medo, afinal somente ela sabia o quanto o preconceito pode machucar.

Artur é um cara rico, lindo e completamente horrível, seu modo de vida e de enxergar as coisas são completamente distorcidos e cheios de preconceitos. Após passar uma noite com uma garota a qual mais uma vez ele trata como lixo ele se envolve em um grave acidente de carro e é quando Lúcia entra em sua vida (novamente?).

Lúcia e Artur irão se encontrar por consequência desse acidente. Contratada para prestar serviços de fisioterapia a ele, Lúcia irá sentir na pele a língua afiada de Artur. Mesmo recebendo um tratamento horrível por parte dele ainda assim Lúcia permanece disposta a ajudá-lo em sua recuperação. E com essa proximidade muitos preconceitos serão revelados e superados.

O mais incrível nesse livro é a forma simples com que o autor escreve e nos envolve na história. Diferente de muitos livros atualmente, Walter Tierno vai direto ao ponto da questão, mostrando assim que somos nós quem escolhemos viver ou não com preconceito.

A história é intercalada entre Lúcia e Artur então conseguimos realmente entrar na pele dos personagens e sentir suas inseguranças e receios. O amadurecimento de Lúcia e Artur é gradual e vamos acompanhando cada passo deles. Indico fortemente essa leitura, além de romance temos uma excelente lição de superação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Pérolas Literárias - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
imagem-logo