11.12.16

Resenha - Butterfly, Kathryn Harvey.

Autor: Kathryn Harvey
Título: Butterfly
Ano: 2012
Páginas: 520
Editora: Universo dos Livros

No andar de cima de uma loja exclusivamente masculina na Rodeo Drive existe um clube privado chamado Butterfly, um espaço em que as mulheres são livres para expressar suas fantasias eróticas mais secretas.
Somente as mulheres mais belas e poderosas de Beverly Hills são convidadas a entrar: Jessica, uma advogada que suspira pela época em que os homens eram machos e as mulheres satisfaziam seus prazeres; Trudie, uma construtora que quer um homem que a desafie, em todos os sentidos e sem tabus; e Linda, uma cirurgiã que usa máscaras para desmascarar os desejos que esconde até de si mesma.
Contudo, a mais misteriosa de todas as mulheres é a que criou o Butterfly. Ela mudou o nome, o sotaque, até mesmo o rosto para esconder sua verdadeira identidade. E agora está prestes a revelar seu passado para concretizar a obsessão secreta que a levará além do êxtase...

Diferente de todos os livros eróticos que já li até agora. Butterfly aborda temas que temos presentes em nossos dia a dia; Pedofilia, Violência, Prostituição e Fanatismo Religioso. Não é mais um rala e rola, esse livro tem uma trama de surpreender.

Demorei séculos para ler, confesso, mas é porque não tinha tempo e não queria ler correndo então quando surgiu uma oportunidade de sentar e ler não parei até acabar.

Butterfly é um clube exclusivo para mulheres que querem realizar suas fantasias sexuais, mas se pensam que o clube é o que prende a gente na leitura estão enganados. Temos sexo? Sim temos, mas não são os pontos altos do livro pelo contrário podemos dizer que o clube Butterfly e o sexo são apenas introduções ao que realmente importa; Vingança!


Jessica uma advogada de sucesso casada com Jonh, esse homem adoro criticar a esposa tinha vontade de dar uns tapas nele e nela. Trudie engenheira, dona de uma empresa de construções precisa impor respeito em um espaço dominado pelos homens. Linda uma médica divorciada e sexualmente frustrada. Por mais que está frequente o Butterfly não consegue se deixar levar pela fantasia.

Todas tem algo em comum, são associadas do clube Butterfly onde seus desejos mais secretos ganham voz e mais umas coisinhas…

O livro é narrado a cada capítulo por uma (o) protagonista e vemos todos os lados da história. Viajamos no tempo para a década de 50 que foi na época em que tudo começou, conhecemos como as coisas eram naquele tempo e as dificuldades que nossa protagonista passou para chegar até onde está.

Nossa protagonista é Rachel Dwyer, mas não posso e nem quero falar sobre ela. Ela sofreu demais em tão pouco tempo de vida e no que ela se transforma é um UAU, segura essa mulher!!! Gente ela é demais. Esperava ansiosa pelos capítulos narrados por ela.

Muitos acreditarão que Butterfly seria um livro erótico. Sinceramente não tem comparação com os livros eróticos lançados, esse é muito superior em tudo. As cenas de sexo contém algo a mais do que simplesmente “Me joga na parede”.

O emaranhado de coisas que descobrimos durante a leitura e bom demais. Mesmo com essa troca de narração e de tempo (passado e presente) a autora não se perdeu em momento algum. Construiu personagens fortes e com características próprias. Não é mais o mesmo do mesmo se vocês me entendem.

Sua continuação é Stars e o livro continua bombástico como o primeiro. O final sinceramente foi de chocar até os mais espertos.

E é isso vou parando por aqui o entrego o livro inteiro e isso não queremos não é?

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG PÉROLAS LITERÁRIAS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS